Follow on Bloglovin

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Não eras tu o meio de transporte mais seguro?

por aquelacomduplanacionalidade, em 24.07.14

Estou preocupada. Bastante preocupada. Na última semana, nas notícias, só se ouve falar de aviões, sejam eles despistes, desaparecimento dos radares ou ataques terroristas.  Estamos ou não no século XXI?

Não aceito o facto de estarmos em 2014 e ainda existir tantos conflitos no Mundo. O que aconteceu na Ucrânia é inadmissível, não tem desculpa. Nada justifica acabar com a vida de 298 pessoas. Não imagino a dor destes familiares que de um momento para o outro a vida deixa de ter sentido. Há pouco li esta notícia (Lux) e fiquei com lágrimas nos olhos por tamanha crueldade, não consigo imaginar metade da dor destes pais. 3 filhos? 1 avô? Não consigo perceber. Não é justo. Não é justo para ninguém.

Arrepio-me cada vez que ouço relatos de famílias que deveriam ter embarcado naqueles aviões, seja no que desapareceu em Março, seja no que foi abatido por um míssil no passado dia 17 de Julho.

Quanto à Malasya Airlines nem sei o que dizer. 2 acidentes no espaço de 4 meses é muito. Não sei como conseguirão ultrapassar isto, mesmo não tendo culpa.

Ontem mais uma avião despistou-se em Taiwan devido ao mau tempo, mais 48 pessoas perderam a sua vida.

Hoje acordo e mais uma notícia de um avião da Argélia desaparecido dos radares. Fiquei assustada. Soube agora que também esse se despistou. Mais 116 pessoas à qual a vida foi retirada numa questão de segundos. Nunca em 18 anos de vida vi tantos acidentes aéreos num tão curto espaço de tempo.

Chorei ao ver uma imagem de um macaquinho de peluche no meio dos destroços do avião da Malasya Airlines. É cruel, é duro, é triste e agoniante ver tantas perdas em tão poucos dias. Fosse quem fosse, não mereciam isto. Afinal és ou não o meio de transporte mais seguro?

Não consigo também perceber estes desaparecimentos dos radares, será falta de manutenção? Serão demasiados voos? Seja o que for seja resolvido o mais depressa possível porque já não aguento ligar a televisão e deparar-me com notícias destas.

Não sou a melhor amiga dos aviões, nunca o fui e nunca serei. Tive ataques de pânico sempre que me lembrava da viagem que fiz em Abril completamente sozinha. (Johanesburg-Dubai-Lisboa-Porto) Se me esperasse outra viagem dessas neste momento, não sei o que fazia.

Dentro de 2 semanas vou estar naquilo a que chamam "o meio de transporte mais seguro", embora seja uma viagem de 30/45 minutos fico aflita. Com o coração nas mãos. Se já tinha medo, agora não sei o que tenho.

Felizmente nunca perdi ninguém num acidente aéreo, mas sinto como se tivesse perdido. Perder a vida num avião aterroriza-me. Há quem diga que não se sente, mas tenho a certeza que se sente. Uma aflição descomunal, temos tempo de perceber que vamos perder a vida naquele momento e não podemos fazer nada. Dói muito e não há palavras para descrever tamanho sofrimento.

Desejo muito força a todos os que perderam os seus entes mais queridos nestes últimos meses.

Quanto ao avião desaparecido, para bem dos familiares que os procuram, espero que apareça. Não saber onde estão aqueles de quem gostamos é algo que nunca quero sentir e não desejo a ninguém.

Espero que amanhã seja o início de uma fase na qual despistes e desaparecimentos não façam parte das notícias.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:29






Comentários recentes